“Memórias, silenciamentos e invisibilidades: a reparação como política de outridade” é o tema da próxima mesa do ciclo “Juiz de Fora: cidade negra”, que também celebra o recebimento do 15º Prêmio Amigo do Patrimônio (FUNALFA/2020)

Com grande alegria, registro e agradeço, neste blog, o reconhecimento concedido ao Projeto Juiz de Fora: Cidade negra do LABHOI/UFJF pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Cultural por meio da Fundação Cultural Alfredo Ferreira Lage (Funalfa).

Outorga o 15º Prêmio Amigo do Patrimônio

Eventos Funalfa

Prezadas Profs. Dnd.Giovana Castro e Dra.Hebe Mattos,

o Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Cultural, por meio da Fundação Cultural Alfredo Ferreira Lage (Funalfa), tem o prazer de outorgar ao projeto  Juiz de Fora: Cidade Negra – Centro de Referência sobre a Memória Negra na cidade de Juiz de Fora, o 15º Prêmio Amigo do Patrimônio.

Nesta oportunidade, queremos enaltecer a relevância da ação para a cidade de Juiz de Fora, que teve suas linhas escritas e reforçadas por uma historiografia predominantemente branca. O trabalho desenvolvido e executado no âmbito do Laboratório de História Oral e Imagem – LABHOI da UFJF, certamente trará contribuições importantes através das pesquisas, depoimentos e toda documentação sobre memórias negras invisibilizadas nas narrativas oficiais da cidade. Além disso, é fundamental a divulgação do banco de dados sobre as memórias da população negra de Juiz de Fora para a preservação da memória de seu povo, que é subsídio para a criação de laços afetivos com nosso patrimônio cultural.

O resultado da premiação foi divulgado em 30 de setembro de 2020 no portal pjf

Informamos que em decorrência da pandemia, não há previsão para a tradicional cerimônia de entrega das placas. Por essa razão, encaminhamos anexo Certificado que comprova e os reconhece como contemplados com a premiação e solicitamos confirmação do recebimento.

Atenciosamente,

Carine Silva Muguet/ TNS – Historiadora/Ms. História Social – UFRJ/ Supervisora de Pesquisa, Memória e Educação Patrimonial/ SPMEP/DIPAC /FUNALFA/ Juiz de Fora (MG)

A ação é organizada pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Cultural (Comppac), com apoio da Fundação Cultural “Alfredo Ferreira Lage” (Funalfa), por meio da Divisão de Patrimônio Cultural (Dipac) e acontece desde 2006, com objetivo de contemplar iniciativas de pessoas físicas e jurídicas, de direito público ou privado, que tenham praticado ações para conservação, preservação, defesa ou divulgação do patrimônio cultural de Juiz de Fora, além de atividades educativas que visem difundir conceitos que auxiliem na compreensão da importância do patrimônio cultural. A indicação é feita por meio de formulário aberto à comunidade, no qual devem ser apresentadas as justificativas que embasem a premiação e são analisadas por uma comissão indicada pelo Comppac.

Para celebrar a conquista, a próxima sessão do nosso ciclo de debates, com o título Memórias, silenciamentos e invisibilidades: a reparaçao como politica de outridade acontecerá no próximo dia 27 de outubro, às 17:30, no Canal LABHOI/UFJF, no youtube.

Nas palavras de Giovana Castro, que fará a mediação da mesa, citando Grada Kilomba e Lelia Gonzales:

Para descolonizar o conhecimento, temos que entender que todos/as nós falamos de tempos e de lugares específicos, a partir de realidades e histórias específicas. Não existem discursos neutros. (…). Descolonizar o conhecimento significa criar novas configurações de conhecimento e de poder. (KILOMBA, 2016, p. 7–8).

Nesse sentido, é necessário que descolonizemos todo o conhecimento e informação que já recebemos sobre o período escravocrata até o presente momento, pois estaremos falando de um lado da moeda que, ao longo da historiografia, [foi] negligenciado. Estaremos falando a partir da subalternidade, da construção do Outro. Assumimos aqui, então, neste texto, o risco de falar com todas as implicações (GONZALES, 1984, p. 225). 

“Dando continuidade ao debate sobre as construções de subjetividades na cidade, abrimos espaço agora para uma necessária reflexão sobre a narrativa historiográfica e suas interfaces com passados sensíveis e políticas de reparação, para que possamos ambicionar o aprofundamento de memórias coletivas, sob a chancela da escuta do outro enquanto parte dessa teia de poderes, para além da cristalização da sua subjetividade.”

O painel contará com a participação das representantes da FUNALFA Fernanda Amaral, supervisora do Programa Cultural Murilo Mendes e Carine Silva Muguet, supervisora de Pesquisa, Memória e Educação Patrimonial.

Elione Guimarães, pioneira nos estudos do pós-abolição em Minas Gerais e diretora de pesquisa do Arquivo Histórico de Juiz de Fora, juntamente com Raquel Pereira Francisco, professora de história da rede municipal de ensino, ambas doutoras pela UFF e Luan Pedretti, mestrando em Educação/UFJF, integrante do Coletivo Negro Resistência Viva e da Frente Preta da UFJF completam o time de intervenções/depoimentos sobre silenciamentos e políticas de reparação para a memória negra da cidade.

Seguindo a lógica que estrutura o ciclo de debate, para finalizar, eu mesma e Mônica Lima, historiadoras do BLOG, fecharemos os debates relacionando a experiência local com as discussões globais sobre monumentos e memórias sensíveis a que temos nos dedicado nos últimos anos.

Aproveito mais uma vez para agradecer a Giovana Castro, bem como à toda a equipe de bolsistas, pela excelência do trabalho que vem sendo desenvolvido.

Deixe um comentário

Arquivado em antiracismo, cultura negra, Entrevista, história e memória, história pública, historiografia, politicas de reparação, Pos-abolição

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s